mar., 09 jun. | Zoom

Debate: A situação dos moradores de rua na pandemia

Com Pedro Morales
A inscrição está fechada
Debate: A situação dos moradores de rua na pandemia

Horário e local

09 jun. 2020 18:30 – 20:10
Zoom

Sobre o evento

UFSC à Esquerda e EFoP convidam para o debate:

A situação dos moradores de rua na pandemia

com Pedro Morales Leite

O evento “A situação dos moradores de rua na pandemia”, construído pelo jornal UFSC à Esquerda e pela Escola de Formação Política da Classe Trabalhadora - Vânia Bambirra, tem por objetivo debater como a pandemia da Covid-19 atravessa a situação dos moradores de rua, a partir da perspectiva de alguém que atua nas políticas públicas. Portanto, faz parte da sequência de debates que o jornal e a escola se empenham em realizar sobre a conjuntura.

Para tal, contaremos com a presença de Pedro Morales Leite, que realizará a mediação do espaço. Pedro possui formação em psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), aprimoramento em Clínica das Psicoses no Instituto A Casa e especialização em Saúde pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP); atualmente, atua como psicólogo no Serviço Especializado em Abordagem Social do CREAS no município de Biguaçu, SC.

Inicialmente, o espaço contará com uma breve explanação e introdução do tema pelo mediador e, posteriormente, será aberto para perguntas e debates. O espaço ocorrerá pela plataforma Zoom. Realize sua pré-inscrição através do site da EFOP para participar do debate e contribuir com intervenções (o link para a reunião no Zoom será enviado por e-mail para os inscritos) ou acompanhe a transmissão através da página do UàE no Facebook.

Quando? 09/06/2020 às 18h30

Onde? Reunião no Zoom (com transmissão ao vivo no Facebook).

Organização: UFSC à Esquerda e EFoP

Dúvidas: efop.vaniabambirra@gmail.com 

A inscrição está fechada

Compartilhe este evento

Logo_EFoP_4_edited.png

Escola de Formação Política da Classe Trabalhadora -

Vânia Bambirra

[...] as mulheres, as operárias e camponesas em particular, têm dupla razão para serem revolucionárias